GospelMais e BíbliaMenos?

Dar publicidade para difamações traz menos glória para o Evangelho. É GospelMenos, não GospelMais.

Rev. Alberto Thieme
Já escrevi ao GospelMais sobre sua atitude antibíblica de dar publicidade para artigos polêmicos de indivíduos que focam seus ataques quase que exclusivamente nos pentecostais.
Deixei claro que esses indivíduos deveriam estudar mais a Bíblia, orar mais e difamar menos.
Meu primeiro artigo sobre o GospelMais está aqui: http://juliosevero.blogspot.com/2012/08/o-polemico-antipentecostalismo-de.html
Contudo, eis que agora o GospelMais dá publicidade para o maior de todos os polemistas e difamadores: Caio Fábio.
O GospelMais publicou um artigo com Caio disparando sua metralhadora difamatória contra vários pastores, como se ele tivesse uma mínima moral para apontar os erros de quem quer que seja.
O povo de Deus não deveria ficar gastando seu tempo lendo artigos de menosprezo e depreciação de irmãos, sejam eles pentecostais ou tradicionais ou avivados.
Se quiser criticar os desvios de uma meia-dúzia de pastores, bispos e apóstolos que usam a TV para montar seu império financeiro, vá até eles e os combata diretamente. Ninguém tem o direito de falar da “noiva de Cristo”, sua igreja. Entretanto, muitos fazem isso covardemente, pois sabem que se falarem diretamente para algum deles poderão ser processados. Por isso, falam das igrejas pentecostais o que querem. Nessas críticas, cabe tudo, principalmente mentiras.
Como não fui atendido no meu pedido e vendo novamente o GospelMais voltando a investir contra a Igreja de Cristo, tenho o direito de NÃO considerá-lo GospelMais como tal, mas sim como GospelMenos, porque não estão observando o que a BíbliaMais diz quando fazem publicidade de artigos do Pr. Vargens atacando os pentecostais.
E agora fazem publicidade de um artigo do ex-pastor Caio Fábio. Qual é o objetivo disso tudo? Mostrar o quanto ele se apostatou? Isso já está provado, conforme a carta de Judas.
Se os responsáveis pelo GospelMais levassem a sério o significado de GospelMais, seriam BíbliaMais também. Mas, ao darem ampla publicidade novamente para um artigo contra a Igreja, seu comportamento é de GospelMenos e BíbliaMenos, pois ambos autor e dono do GospelMais desconhecem o que diz a Bíblia em Provérbios 6:16-19, onde Deus mostra que, entre sete coisas que ele odeia, a sétima é a que ele mais abomina: “Aquele que espalha contenda entre irmãos”.
O espalhamento ou publicidade desse pecado é pior que os seis pecados anteriores, que incluem até assassinato, porque os primeiros seis pecados são cometidos por ímpios e o sétimo, infelizmente, é cometido apenas por “irmãos”, pessoas que conhecem a Deus. Por isso, Deus o chama de “abominação”.
Infelizmente tanto Caio Fábio quanto o GospelMais, com sua ampla publicidade dos difamadores da Igreja de Jesus Cristo, e outros estão atacando a Noiva de Cristo. Com tal publicidade, Caio é visto pela geração mais jovem como novo Lutero, novo Calvino e até mesmo como um novo Apóstolo Paulo, conforme disseram alguns leitores do GospelMais nos comentários do artigo sobre Caio.
Quanto ao artigo do ex-pastor Caio Fábio, ele deveria escrever outro texto, para ampla distribuição. Ele deveria pedir perdão ao povo que tem tido a coragem de entrar nas favelas, ir aos estádios e a outros lugares perigosos para pregar a Palavra de Deus e bem como a todos os pentecostais que por quase duas décadas foram fiéis leitores de seus livros, ouvintes de congressos, contribuintes de vários ministérios que foram dirigidos pelo ex-pastor Caio Fábio. Por que agora Caio Fábio os trata como “material descartável”?   

A publicidade que o GospelMais deu ao artigo difamatório de Caio Fábio gerou vários comentários positivos, inclusive rótulos de profeta e novo Martinho Lutero ao ex-pastor que pecou contra a sua vida, sua primeira esposa e a igreja brasileira.

Infelizmente os que chamam Caio de profeta e Martinho Lutero não conhecem seu passado.
Posso ajudar você a entender quem é esse ex-pastor, pois o conheci pessoalmente.
Primeiramente, gostaria que você considerasse que quem está escrevendo este artigo é um pastor idoso, de 65 anos de idade, e quase 40 anos de ministério evangelístico e pastoral.
Achei por bem escrever este artigo para que a população cristã mais nova seja informada corretamente e se termine de uma vez por todas essas contendas que uns poucos líderes e pastores estão criando para caluniar os pentecostais.
A VERDADE OCULTA PARA QUEM NÃO ACOMPANHOU OS FATOS: Primeiramente, Caio Fabio precisa pedir perdão à Igreja Presbiteriana do Brasil, onde ele era pastor ordenado. Ele foi rebelde à disciplina que recebeu, quando a Bíblia diz: “Na verdade, nenhuma correção parece no momento ser motivo de gozo, porém de tristeza; mas depois produz um fruto pacífico de justiça nos que por ele têm sido exercitados” (Hebreus 12:11).
Caio cometeu adultério, pecando sexualmente por longo tempo com sua secretária, e quando o escândalo veio à tona, o casamento dele foi por água abaixo e sua família caiu aos pedaços. Estou certo, Caio? Todas essas tragédias serão tudo coincidência?
Mesmo assim, ele permaneceu irredutível e eu nunca soube que Caio pediu perdão aos pastores responsáveis pelo ministério dele. A atitude de se submeter à disciplina e pedir perdão é bíblica, porém Caio sofre de SOBERBA.
Nunca vi também um artigo dele pedindo perdão aos milhões de brasileiros cristãos que o tinham como um exemplo em todas as áreas da vida. Caio era visto e tratado como um super-apóstolo, pois pastoreava pastores com suas prédicas, palestras, livros e outros meios de comunicação.
Seu pecado foi se agravando:  ele acabou largando a secretária-amante, mas não voltou para a esposa. Ele casou com outra mulher, uma pastora. Segundo a Bíblia, ao casar com a pastora depois do adultério ele prosseguiu no estado de adultério.
Esse é um resumo do passado recente de Caio Fábio. Só escrevi isso para alertar a geração mais jovem que o admira sem conhecer a realidade da sua vida.
Caio Fábio está em imensa dívida com a Igreja Brasileira, a mesma igreja que é hoje vítima de suas críticas grotescas.
A igreja pertence a Cristo e ninguém tem o direito de falar mal dela. Há uma onda de REBELDIA que tomou conta de alguns líderes mais proeminentes que depois de se aproveitarem das igrejas evangélicas brasileiras pedindo contribuições (muitas vezes para igrejas pentecostais), vendendo seus livros, CDs e DVDs, ficam amargurados e despejam ataques infundados. Depois de viverem uma vida abastada à custa da igreja, cospem nela. E depois que perdem as mordomias, escrevem e gravam seus fulos discursos para falar mal das igrejas que lhes deram dinheiro e luxo.
Caio tinha uma casa confortável num condomínio caro em Niterói. Tinha também uma casa na Flórida, EUA, para onde viajava todos os meses. Ele vivia, mensalmente, entre EUA e Brasil. E agora reclama dos que sustentavam suas mordomias e ganâncias? E agora ataca os que pagavam suas caras viagens aéreas?
O que há para se admirar num homem como Caio, que dedica sua vida a reclamar dos que não mais lhe dão dinheiro e mordomias?
Para mim, Deus pesou a mão sobre o ministério dele, que se acabou. Cadê a pujante VINDE? Durante três anos, eu trabalhei na VINDE, na área de informática, ajudando esse ministério que eu considerava valioso.
Cadê os programas de TV, os congressos lotados de pastores e líderes? Cadê o ministério social com os favelados? A Oficina da Esperança tornou-se um monturo e se acabou. Crianças voltaram para as ruas e muitas delas já morreram.
O estrago verdadeiro de suas atitudes pecaminosas e impensadas trouxe desgraça a muitos lares: ISTO PRECISA SER CONSERTADO, CAIO!
E agora você vem com inovações, pregando um evangelho de difamações contra pastores e suas igrejas que ajudaram você a viver confortavelmente? Conte os defeitos deles para Deus e as bênçãos para os homens.
A destruição ministerial de Caio teve um começo bem claro: Quando se faz aliança com os ímpios, Deus age contra o servo dEle. Desde o Antigo Testamento, Deus pune.
Desde a década de 1980, Caio já estava envolvido com a Teologia da Missão Integral. Na década de 1990, ele já tinha contato com Lula, a quem ele introduziu sorrateiramente aos evangélicos, trazendo a miséria do marxismo para dentro da Igreja Brasileira.
Caio foi o primeiro pastor influente no Brasil a manter contato com Lula na década de 1990. Seu charme eclesiástico foi decisivo para preparar todos os grandes líderes evangélicos (tradicionais, pentecostais e neopentecostais) para apoiar o candidato Lula em 2002.
Ele jogou a Igreja Brasileira no lodo socialista, e agora acusa-a de estar doente. Com seu adultério e mau-caráter, ele perdeu o dinheiro das igrejas que o sustentavam, e agora cospe no prato que o alimentou e engordou.
E o GospelMais o engorda de publicidade, para que as novas gerações o vejam como “profeta” contra os pastores, em vez de um mero homem revoltado por perder o dinheiro e mordomias desses mesmos pastores.
Engordar Caio Fábio com publicidade não dá glória ao Evangelho. Dá gloria ao homem.
Por isso, quando o GospelMais glorifica Caio Fábio, Renato Vargens e outros homens difamadores de pastores, dando-lhes propaganda gratuita, o único título que lhe cabe é GospelMenos.
Editado por Julio Severo
Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s