A prostituta e o esquerdista

Os cristãos deveriam lutar pelos direitos das prostitutas? Se você responder “não”, você não passa de um “moralista hipócrita”, de acordo com o artigo “A Igreja e a Profissionalização da Prostituição”.
No artigo, o autor Hermes Fernandez diz: “Não podemos fazer vista grossa a tudo que estas mulheres sofrem. Algo precisa ser feito para atenuar tanto sofrimento. Não seria hipocrisia dizer que as amamos, enquanto lutamos contra os seus direitos?”
Bispo Hermes Fernandes

A ONU quer direitos para as “profissionais do sexo”. O governo petista do Brasil tem também a mesma pretensão. E de que lado a igreja deveria ficar? De acordo com Hermes, dos poderosos. Se a ONU e o governo petista querem direitos para as “profissionais do sexo”, por que a igreja não deveria ter uma parceria com eles?

Aliás, ao dizer “Não seria hipocrisia dizer que as amamos, enquanto lutamos contra os seus direitos?”, todos os cristãos estão recebendo uma repreensão clara de Hermes Fernandes, o evangélico progressista que é colunista do tabloide sensacionalista Genizah. O que ele diz pode também ser aplicado assim:
“Não seria hipocrisia dizer que amamos os ativistas pró-aborto, enquanto lutamos contra seu direito de abortar?”
“Não seria hipocrisia dizer que amamos os ativistas gays, enquanto lutamos contra o seu ‘direito’ de impor o homossexualismo, inclusive o PLC 122, na sociedade?”
“Não seria hipocrisia dizer que amamos os pedófilos, enquanto lutamos contra os seus direitos?”
Se você não tem disposição de lutar pelos direitos das prostitutas, Hermes aponta o dedo no seu nariz e diz que você está “lado dos moralistas hipócritas, que enviam seus filhos para serem iniciados por elas”.
De fato, conheço o caso de um homem esquerdista que quando era pastor presbiteriano anos atrás escolheu esse caminho. Quando seu filho adolescente começou a lhe fazer perguntas sobre sexo, o pai pastor não hesitou: levou-o a uma dessas “profissionais do sexo”, para que ela fizesse um “trabalho educativo profissional” na anatomia do rapaz.
Em apoio à sua visão esquerdista, Hermes diz: “Lembremo-nos que o próprio Jesus afirmou que meretrizes entrariam no reino de Deus antes de muitos religiosos hipócritas (Mateus 21:31)”. Eis aí um conselho vindo diretamente da esquerda apologética, que sabe tudo o que você deve fazer.
Pais, querem garantir a entrada de suas filhas no Reino de Deus? De acordo com Hermes, vocês deveriam lhes dar um incentivo para se tornarem “profissionais do sexo”!
Maridos, mostrem para suas esposas as vantagens “espirituais” da carreira que hoje tem a honra da ONU e do governo petista do Brasil!
Irmãos, aproveitem e convençam suas irmãs quanto elas poderiam ajudar no orçamento doméstico optando pela “profissão do sexo”.
Hermes também diz: “Se nos puséssemos ao lado dessas ‘damas da noite’ para defender seus direitos”.
Esposas cristãs, por que não deixar seus maridos se colocarem ao lado dessas ‘damas da noite’ para defender seus direitos? Afinal, essa recomendação não veio de alguém qualquer. Veio de um líder progressista, que quer evidentemente o “progresso” das relações entre os cristãos e as profissionais do sexo.
Contudo, o que Jesus realmente quis dizer? Ele disse: “Com toda a certeza vos afirmo que os publicanos e as prostitutas estão ingressando antes de vós no Reino de Deus”. (Mateus 21:31 KJA)
Jesus quis dizer que as prostitutas e outros pecadores estavam aceitando o Evangelho de coração e mudando de vida, enquanto que os religiosos pensavam: “Já tenho teologia e não preciso do Evangelho!”
O homem que era pastor presbiteriano e levou o filho a uma “profissional do sexo” é um desses religiosos. Por pura coincidência, ele é um dos gurus do Hermes.
No caso da prostituta que foi pega no próprio ato de adultério, Jesus não disse: “Vá lutar por seus direitos na profissão do sexo e eu ordenarei aos meus discípulos que ajudem você nessa luta”.
O que ele disse foi: “Vai e não peques mais”. (João 8:11)
Hermes finaliza seu artigo em defesa das “profissionais do sexo”: “Sinto-me à vontade ao colocar-me ao lado dos proscritos, e não dos poderosos, dos pecadores, e não dos sãos”.
Como todo bom esquerdista, Hermes apenas usa os “proscritos” para estar do lado dos poderosos. O primeiro deputado a lutar pela legalização da prostituição no Brasil foi Fernando Gabeira. Quando foi candidato a prefeito do Rio de Janeiro em 2008, Gabeira, que é um ambientalista homossexual pró-aborto, recebeu o apoio do Hermes.
Para as prostitutas e outros pecadores, os cristãos têm o Evangelho para lhes dar.
Mas evangélicos progressistas como Hermes Fernandes têm muito mais, para a alegria da ONU, do governo petista do Brasil e para o ex-pastor presbiteriano.
Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s