A Casa do Cristão: lugar de descanso

Indo eles de caminho, entrou Jesus num povoado. E certa mulher, chamada Marta, hospedou-o na sua casa. Tinha ela uma irmã, chamada Maria, e esta quedava-se assentada aos pés do Senhor a ouvir-lhe os ensinamentos. Marta agitava-se de um lado para outro, ocupada em muitos serviços. Então, se aproximou de Jesus e disse: Senhor, não te importas de que minha irmã tenha deixado que eu fique a servir sozinha? Ordena-lhe, pois, que venha ajudar-me. 

Respondeu-lhe o Senhor: Marta! Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas coisas. Entretanto, pouco é necessário ou mesmo uma só coisa; Maria, pois, escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada
(Lucas 10.38-42).

Vivemos uma geração com dificuldade de estabelecer limites em vários sentidos. A casa do cristão tem sofrido as consequências disso. Parece que nossos muros de casa foram derrubados e passamos a ser invadidos. Onde deveria ser lugar de refúgio e descanso, tem sido lugar de stress, ansiedade e agitação. Mas, quando Jesus é convidado para entrar em nossa casa, tudo muda.

Em primeiro lugar, Jesus transforma nossa casa em lugar de descanso físico (do trabalho). É muito interessante ler o primeiro livro do pentateuco e notar que o próprio Deus descansou: E, havendo Deus terminado no dia sétimo a sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a sua obra que tinha feito. (Gênesis 2.2). O descanso é, portanto, um invento divino desde a criação do mundo. Bom ressaltar que descanso não é preguiça, indolência, inação. Descanso acontece após o trabalho. Isso é levado tão à sério por Deus que se tornou uma diretriz dada através de Moisés: Seis dias trabalharás, mas, ao sétimo dia, descansarás, quer na aradura, quer na sega (Êxodo 34.21; Levítico 23.3) 

E isso deveria ser feito coletivamente e anunciado publicamente: Fala aos filhos de Israel, dizendo: No mês sétimo, ao primeiro do mês, tereis descanso solene, memorial, com sonidos de trombetas, santa convocação (Levítico 23.24). A intenção de Deus era tão intensa que a arca da Aliança do Senhor ia adiante deles caminho de três dias, para lhes deparar lugar de descanso (Números 10.33).Na visita de Jesus, a primeira observação é para Marta descansar do seu trabalho. A casa do cristão deve ser esse lugar.

Além de perceber a necessidade do descanso físico do trabalho, Jesus percebeu que a agitação e inquietude de Marta indicava a necessidade de aprender que a casa é lugar de descanso espiritual (das lutas). Eles enfrentariam grandes lutas espirituais com a morte de Lázaro (João 11) e, depois, com as ameaças de morte dos líderes religiosos (João 12.2). O melhor a fazer em casa é nos assentarmos aos pés de Jesus e deixarmos que suas palavras ministrem nossa fé e confiança, arrancando os medos. Ele venceu nossos inimigos para cumprir a promessa do Senhor: Mas passareis o Jordão e habitareis na terra que vos fará herdar o Senhor, vosso Deus; e vos dará descanso de todos os vossos inimigos em redor, e morareis seguros (Deuteronômio 12.10). 

Jesus ensina, também, que nossa casa deve ser lugar de descanso emocional (da alma). A preocupação deve cessar para dar lugar às conversas mais agradáveis da vida. Suas visitas sempre envolviam conversas longas, prazerosas, cheias de ensino e manifestação de carinho e respeito. Contavam suas histórias um ao outro, faziam refeições juntos, abriam seus corações falando de suas alegrias e angústias. Deixavam-se relacionar simplesmente pelo prazer de estarem juntos. Jesus até havia ensinado que aqueles encontros não deviam ser muito carregados de tarefas e preparativos que muitas vezes atrapalham, mas deveriam priorizar o tempo na essência de uma boa e franca conversa. 

E como aquela orientação foi marcante. A casa de Marta, Maria e Lázaro tornou-se esse lugar ao ponto de, uma semana antes de morrer, Jesus decidiu passar por Betânia para ter esse tempo de descanso na alma (João 12.1-3). A qualidade de descanso foi tão intensa que, depois de uma agradável Ceia juntos, Maria, tomando uma libra de bálsamo de nardo puro, mui precioso, ungiu os pés de Jesus e os enxugou com os seus cabelos; e encheu-se toda a casa com o perfume do bálsamo (João 12.3).

O Senhor Jesus está à porta disposto a entrar em nossas casas. Se ouvirmos sua voz e abrirmos a porta, Ele entrará em nossas casas para estar junto de nós (Apocalipse 3.20). Ali ele trará alívio a todos os que estão cansados e sobrecarregados, ministrando sobre nós sua mansidão e humildade. E acharemos descanso. Com Jesus em casa, a casa do cristão torna-se lugar de descanso.

Autor: 

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site http://www.institutojetro.com/ e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s