Caridade sem exibição e espetáculo

Na estação de Natal, um dos destaques entre os cristãos são atitudes, devidamente fotografadas e filmadas, de ajuda às pessoas em necessidade.

Igrejas fazem questão de mostrar para todos que estão alimentando os pobres e têm todas as fotos para provar que são caridosas.

Cristãos individuais posam em selfies ao lado de pobres e infelizes que eles acabaram de ajudar.

Esse tipo de caridade exibicionista é desaprovado por Jesus, que disse:

“Guardai-vos de fazer a vossa caridade e obras de justiça diante dos homens, com o fim de serem vistos por eles; caso contrário, não tereis qualquer recompensa do vosso Pai que está nos céus. Por essa razão, quando deres um donativo, não toques trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas, nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Com toda a certeza vos afirmo que eles já receberam o seu galardão.  Tu, porém, quando deres uma esmola ou ajuda, não deixes tua mão esquerda saber o que faz a direita. Para que a tua obra de caridade fique em secreto: e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.” (Mateus 6:1-4 King James Atualizada)

Em outra versão bíblica, as palavras de Jesus são ainda mais claras:

“Quando for ajudar alguém, não chame atenção para você mesmo. Você já viu gente assim em ação, tenho certeza — eu os chamo ‘atores’. Eles vão orar nas esquinas, como se elas fossem palcos, atuando para o público, interpretando para as multidões. Eles recebem aplausos, sim, mas é tudo que conseguirão. Quando você ajudar alguém, não pense na impressão que vai causar. Apenas ajude — com simplicidade e discrição. É assim que Deus, que o criou com todo amor, faz. Ele age nos bastidores para ajudar você.” (Mateus 6:1-4 A Mensagem)

A caridade verdadeira não faz exibição pública do que fez ou faz por alguém. Não exibe o próprio nome.

Caridade sem humildade não é caridade. É publicidade pessoal. É propaganda para promover o próprio ego. É plataforma para chamar a atenção para si.

Jesus nunca aprova a caridade em benefício do ego.

Em contraste, a verdadeira caridade é simplicidade. É discrição. Deixa o próprio nome e ego na sombra e anonimato.

Essa é a caridade que agrada a Jesus.

No momento em que um cristão se gaba ou apenas mostra para todos que o que ele fez para alguém em necessidade, ele automaticamente perde de Deus todas a bênçãos que ele teria recebido se tivesse mantido seu ato de bondade nos bastidores, algo só entre ele e Deus.

No momento em que um cristão tira dos bastidores uma ajuda que deveria ser assunto somente entre ele e Deus, ele perde maravilhas de Deus que ele nunca imaginou.

A Palavra de Deus deixa claro que o ato de caridade deve ser oculto, secreto e pessoal, de modo que nem o seu amigo mais chegado deve saber o que você fez. Deus se alegra com tal demonstração de humildade.

Ninguém conhece os que fizeram caridade conforme Deus quer. Mas Deus os conhece. E isso é a única coisa que importa.

Fonte: www.juliosevero.com

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s