Brasil está sendo atacado por 7 pragas que parecem bíblicas

“A derrubada do mito Lula pareceu confirmar que o Brasil foi atacado por pragas que parecem bíblicas”, afirmou a revista Semana. Zika, violência, recessão também são destacadas

SÃO PAULO — Não são só as publicações dos Estados Unidos ou do Reino Unido que destacam o Brasil. Os nossos vizinhos também dão destaque para a crise econômica e política que o País vive em jornais e revistas. Na última edição, uma das grandes revistas da Colômbia, chamada “Semana“, fez uma análise dos problemas brasileiros, chamando-as de “as setes pragas”. de proporções bíblicas e que afligem o País. A matéria foi destacada pelo blog Brasilianismo, do UOL.

Segundo a análise da revista colombiana, o Brasil, chamado de gigante sul-americano, sofre uma série de desastres que o colocou “nas cordas”, sendo que o escândalo envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é apenas um dos fatores. Agora, após um período de fartura, o Brasil viu a sua situação se precarizar, com a crise tornando-se mais crítica em meio às investigações sobre Lula.

“A derrubada do mito pareceu confirmar que o Brasil foi atacado por pragas que parecem bíblicas”, afirmou a revista, que fez uma lista das sete pragas que vêm afligindo o País:

  1. A queda do mito
    Nas últimas semanas, a Operação Lava Jato e a Zelotes aumentaram o cerco contra Lula, fazendo com que as chances para que o ex-presidente volte ao poder diminuam consideravelmente. A revista lembra que Lula saiu do governo em 2010 com 80% de aprovação mas, nos últimos meses, a sua reputação desabou: segundo a pesquisa Ipsos, apenas 25% o considera honesto.
  2. Uma presidente sem poder
    “A popularidade da presidente Dilma Rousseff é de 6%, um número menor de que a taxa de inflação de dois dígitos”, afirma a revista que ressalta que, desde o início do segundo mandato, a sua aprovação está em queda livre, arrastada pelo escândalo da Lava Jato e pelas más notícias da economia.
  3. Corrupção generalizada
    “Os escândalos de corrupção que apareceram durante os governos de Lula e Dilma são gigantescos”, afirma. A revista também lembra 2005, quando estourou o escândalo do mensalão durante o governo Lula. “E, quando os brasileiros achavam que já tinham visto tudo, estourou a Zelotes, que logrou deixar para trás a Lava Jato, até então o maior escândalo da história”.
  4. Uma recessão brutal
    “Irredimível?. Este foi o título da Economist para referir-se à economia brasileira”, lembra a Semana, que ressalta que a economia do Brasil encolherá 8% entre 2014 e 2016. A Semana ressalta que “a raiz da crise é a queda nos preços das matérias primas e do petróleo”.
  5. Violência
    “O Brasil tem uma mistura mortal de narcotráfico e violência. Das 50 cidades mais violentas do mundo, 21 são brasileiras”, afirma, ressaltando que a violência policial também está fora de controle: “em São Paulo, entre janeiro e novembro de 2015, 532 pessoas foram assinadas por ‘intervenção policial'”.
  6. Adeus ao meio-ambiente
    As inundações que deixaram no último ano mais de 170 mil pessoas atingidas na Argentina, Paraguai e Brasil refletem a perda de cobertura florestal nestes países, ressalta a revista, citando o Greenpeace. Além disso, a Amazônia perdeu 12% de sua área e deve perder entre 9% e 28% até 2050. Soma-se a isso uma tragédia ambiental no Brasil no ano passado: o “tsunami de lama tóxica destruiu o Rio Doce” após o rompimento de uma barragem de resíduos químicos da Samarco, joint venture entre a Vale e a BHP.
  7. E agora, o zika vírus…
    Em sétimo lugar, o destaque ficou para o zika vírus. A revista ressalta que, segundo a Organização Mundial da Saúde, o Brasil será o país mais afetado pela epidemia na América Latina, com 1,5 milhão de casos nos próximos meses, ao mesmo tempo em que os casos de microcefalia saltaram para mais de 3.500 desde outubro de 2015. “Esta praga, que se nutre de inundações e de pobreza, uniu-se à dengue e à chikungunya e obrigou o governo a enviar 220 mil soldados para frear a epidemia antes dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro em junho”, diz. A revista ressalta que, em todo caso, alguns países já colocaram em dúvida sua participação com os times principais.

“Um mau panorama para o País futeboleiro que em 2014 foi humilhado por 7 a 1 na Copa do Mundo realizada em sua própria casa”, conclui a publicação.

Fonte: Infomoney

Divulgação: www.juliosevero.com

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s