Devocional

“Sereis dispersos, cada um para sua casa, e me deixareis só.” (João 16.32)

Poucos se envolveram nas aflições do Getsêmani. A maioria dos discípulos não havia ainda crescido suficientemente na graça, para serem admitidos a contemplar os mistérios da “agonia”. Ocupados com a celebração da Páscoa em seus próprios lares, os discípulos representam os muitos que vivem de acordo com as Escrituras, mas são apenas bebês quanto ao espírito do evangelho. Somente onze homens tiveram o privilégio de entrar no Getsêmani e ver “essa grande maravilha” (Êxodo 3.3). E, dos onze, oito permaneceram distantes, eles tinham companheirismo mas, não daquele tipo íntimo ao qual homens grandemente amados são acolhidos. Somente três, altamente favorecidos, puderam se aproximar do véu do misterioso sofrimento de nosso Senhor. No outro lado daquele véu, mesmo esses três não puderam entrar. Uma determinada distância tinha de existir entre eles e o Senhor. Ele devia pisar sozinho o lagar (ver Isaías 63.3). Pedro e os dois filhos de Zebedeu representam os poucos, experientes e eminentes santos, aos quais nos referimos como “Patriarcas”. Tendo feito coisas grandiosas, em águas grandiosas, eles, em certa medida, podiam medir as enormes ondas da emoção de seu Redentor.

Alguns santos escolhidos por Deus receberam o privilégio de entrar no círculo íntimo de nosso Senhor e ouvir as súplicas do Sumo Sacerdote em agonia; isto para o bem de outros e o fortalecimento deles mesmos em futuros, especiais e terríveis conflitos. Tiveram comunhão com Ele em seus sofrimentos e se conformaram com Ele na sua morte (ver Filipenses 3.10). Apesar disso, mesmo esses santos privilegiados não puderam penetrar nos lugares secretos da aflição de nosso Senhor . “Teus desconhecidos sofrimentos” é a notável expressão usada na liturgia grega. Havia uma câmara interior na agonia de nosso Senhor, fechada ao conhecimento e à comunhão dos homens. Ali, Jesus foi deixado “só”. Ali, Jesus era, mais do que nunca, o “dom inefável” (ver 2 Coríntios 9.15).

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s