Quando alguém se torna necessário e imprescindível 

Mas julgo mais necessário, por amor de vós, ficar na carne. Filipenses 1:24

A morte é uma grande perda para um homem carnal, que se deleita nos prazeres do mundo, pois ele perde todos os seus confortos terrenos e todas as suas esperanças; mas para um verdadeiro crente é exatamente o oposto, pois é o fim de toda a sua fraqueza e miséria. É literalmente o retorno ao lar verdadeiro. É poder desfrutar da comunhão genuína com o Pai de forma nunca antes presenciada.

A dificuldade do apóstolo não era entre viver neste mundo e viver no céu; no versículo anterior ele deixa bem claro o seu desejo:

Estou pressionado dos dois lados: desejo partir e estar com Cristo, o que é muito melhor; Filipenses 1:23

Paulo tinha a convicção que ao partir desse mundo estaria junto ao Pai e poderia desfrutar de muito mais do que estando por aqui, mas embora esse fosse seu desejo ele considerava que a sua presença era necessária para o crescimento do corpo de Cristo.

Mas julgo mais necessário, por amor de vós

Paulo era movido pelo amor aos cristãos, incansável em pregar o evangelho procurava de todos os meios fazer a diferença no meio em que vivia:

Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse, e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo, Filipenses 3:18

Portanto, tudo sofro por amor dos escolhidos, para que também eles alcancem a salvação que está em Cristo Jesus com glória eterna. 2 Timóteo 2:10

Para o apóstolo as prioridades estavam bem definidas em sua vida, tudo girava em torno do Reino, uma vez que isso está definido todas as coisas são secundárias, e essa é sem dúvida a parte mais difícil de executarmos em nossas vidas nos dias atuais.

Muitas vezes achamos que por priorizar o “Domingo” com algum atividade religiosa, estamos priorizando o reino, mas será que isso é verdade? Será que podemos dizer que somos necessários para o desenvolvimento de alguma área, ou para que algumas pessoas recebam a verdade do evangelho?

Imagine a satisfação de Paulo ao olhar depois de muitos anos para trás e poder ver a quantidade de pessoas que receberam o evangelho, que mudaram suas vidas e se voltaram para Deus, é muito provável que mesmo assim ele achar que poderia ter feito mais.

Os poucos trabalhadores

Cristo já havia falado sobre os poucos trabalhadores:

Então, disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos os ceifeiros. Mateus 9:37

Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas. Mas nem todos têm obedecido ao evangelho; pois Isaías diz: Senhor, quem creu na nossa pregação? Romanos 10:14-16

Veja que o Apóstolo disse mais enfaticamente: “Mas nem todos têm obedecido ao evangelho”

Que possamos refletir em nossas atitudes e como estamos fazendo a diferença em nosso meio.

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s